Buscar
  • Vinicius Fonseca

Verdadeiro ou Falso? Saiba analisar um par original do Nike SB Dunk Low x Travis Scott



Com a comunidade sneakerhead se tornando cada vez mais mainstream, era inevitável vermos um crescimento na reprodução de réplicas, principalmente em um mercado que gera bilhões de dólares por ano.


E como já falamos anteriormente por aqui, o meio se renova e procura maneiras de ajudar a comunidade como um todo, trazendo produtos e serviços que facilitem a nossa vida, no caso do mercado secundário, nós temos a ACE1, primeiro e maior marketplace de tênis no Brasil.


E além de já garantirem que o comprador irá receber um tênis original, eles criam um conteúdo bem legal e exclusivo lá no Instagram deles! Se chama "Verdadeiro ou Falso", onde eles comparam e explicam o porque aquele par é original ou não.


A explicação é tão detalhada, que achamos legal deixarmos uma versão aqui no site, assim teremos um arquivo para ajudar aqueles que precisam fazer um "Legit Check" (verificação de autenticidade) por conta própria.


Para o primeiro capítulo escolhemos o Nike SB Dunk Low x Travis Scott, uma das edições mais cobiçadas da linha Skateboarding da Nike em 2020. Assim como as colaborações passadas de Travis Scott, o Dunk Low também foi bem limitado e possui uma das maiores procura no mercado secundário, com isso, as falsificações melhoram e aparecem cada vez mais.


Confiram abaixo alguns pontos que são analisados pela ACE1, e certifique-se de verificar com bastante atenção a próxima vez que você for garantir o seu tão desejado par!



1. O “bico” do par original apresenta uma leve inclinação para cima. Enquanto isso, o par falso tem uma ponta do pé muito mais rente ao chão, dando uma característica mais fina ao bico.


2. Entre os painéis de flanela no centro do cabedal, há uma costura. No par original, a costura é perfeitamente reta, em 90 graus em relação ao chão. No par falso, a costura é torta, e não é perfeitamente alinhada em 90 graus ao chão.


3. É possível ver uma grande diferença na quantidade de couro bege visível após o painel de “bandana” em azul marinho. Além disso, os caracteres em russo são visivelmente mais grossos no par original do que no par falsificado.



1. Podemos observar que as linhas utilizadas no calcanhar do par falsificado são claras. Enquanto isso, no par original as mesmas linhas são escuras, acompanhando a cor do painel traseiro. Além disso, o padrão branco do painel “bandana” em azul marinho é marcado com linhas mais claras e grosseiras no par falsificado.


2. Há uma linha em relevo que cruza da camada “bege clara” da entressola para a camada “bege escura”. No par original, essa linha tem um ângulo na primeira camada, e um ângulo contrário na camada abaixo. No par falso, essa linha segue entre as duas camadas reta, sem nenhuma mudança de ângulo.



1. Primeiramente, podemos observar que a escrita “Cactus Jack” é mais bem definida na língua do par original. No par falso, a escrita acompanha uma espécie de “sombra” à sua direita. Além disso, no par falso a etiqueta da língua tem a parte de baixo visivelmente torta, e com excesso de material à esquerda.


2. Na língua também podemos ver a diferença da camurça entre os dois tênis. Além de ser ligeiramente mais escura, a camurça do par original também tem mais “pelinhos”.



1. O cadarço do par original é feito de uma trama “folgada”, com os laços bem espaçados entre si, dando a ele uma considerável espessura. Já o cadarço do par falso, tem as tramas muito bem presas e tencionadas, deixando ele mais fino que o cadarço do par original.


2. O passador de cadarço na língua do par original tem 5 pequenos pontos de costura. Já o do par falso, tem 3 grandes pontos de costura, além de ser feito de uma camada de camurça mais grossa, o que faz com que ele tenha um grande excesso de material abaixo da costura.



                © Sneaker Cult 2020